Reciclagem

Deixe seu armário verde!

O blog Eco Trends & Tips dá 10 dicas de como transformar o seu guarda-roupa e torná-lo ecologicamente correto. São maneiras de tornar as roupas mais duráveis e evitar o desperdício. Confira as sugestões:

1. Planeje antes de comprar

Abandone compras por impulso. Analise bem se aquela roupa ou acessório servem para você ou se é só uma vontade passageira. Assim você evita perder dinheiro e espaço em seu armário.

2. Ame suas roupas

Cuide delas com carinho. Acidentes domésticos provocam pequenos desastres como manchas ou tecidos queimados. Se cair um botão ou tiver que ajustar um pouco, procure uma costureira e veja se tem como reparar. Para os mais empolgados, é uma boa hora para aprender a lidar com linhas e agulhas.

3. Evite lavagem a seco

Máquinas de lavagem a seco usam tetrachloroethylene, uma substância cancerígena. Procure lavanderias que trabalhem com “wet cleaning” ou CO2 líquido. Muitas peças que antes eram lavadas a seco agora podem ser lavadas a mão, especialmente as de seda, lã e linho. Fique de olho nas etiquetas. Se você preferir recorte as orientações e cole em um pequeno caderno ou guarde em uma caixinha para conferir quando precisar.

4. Compre peças antigas ou usadas

Use a criatividade e tenha um estilo próprio. Busque em bazares, feirinhas, brechós, troca de roupas entre amigas. Se tiver roupas “herdadas” que possam ser interessantes, aposte. Acessórios antigos sempre funcionam. Peças antigas ou usadas podem estar danificadas pelo tempo ou pelo uso. Dependendo, uma reforma resolve e ainda sobra espaço para uma boa customizada.

5. Lave bem

Tenha cuidado para não desperdiçar energia. Junte bastante roupa antes de lavar, para economizar na água, luz e sabão. Procure usar a temperatura mais baixa possível. Opte por alternativas naturais na remoção de manchas nos tecidos e produtos que sejam livres de fosfato e biodegradáveis. Se estiver procurando por uma lavadora nova, verifique se possui selo de economia energética (no Brasil, do Inmetro). A mesma dica vale para os ferros elétricos.

6. Vista orgânicos e tecidos com material reaproveitado

Os tecidos orgânicos e os desenvolvidos com materiais reaproveitados chegaram para ficar. Na opção do orgânico é possível escolher desde o algodão até a seda, certifique-se de que possui selo de autenticação (que identifica se a produção realmente é feita sem agrotóxicos). Os tecidos com materiais reaproveitados como o tecido PET são uma inteligente opção, fomentam o reaproveitamento de materiais como as garrafas pets e agregam ativos ambientais para a peça.

7. Encontre uma nova utilidade

Reciclar não é somente reaproveitar. Seja criativo, inspire-se no mundo a sua volta e aproveite o que já existe para reinventar. A proposta está sendo cada vez mais abraçada por estilistas internacionais – chegando a ser desafio até mesmo para o pessoal do Project Runaway. Observe aquelas roupas e acessórios antigos e descubra um potencial fashion adormecido. Caso não agrade a ideia, reúna o que não precisa mais e leve a entidades carentes. Se nós não encontramos novidade, outros encontrarão.

8. Investigue as origens

Nesse boom de novos tecidos, desconfie do mote ecológico. Como tudo na vida, o que aparentemente poderia ser a solução, pode ser um problema. Mantenha-se informado, converse com os donos de lojas e das marcas e faça escolhas conscientes.

9. Escolha roupas éticas

Muitas empresas, além de cuidarem da natureza, investem em sustentabilidade e responsabilidade social. Valorize e incentive esse tipo de ação. Procure saber onde ficam as fábricas das empresas que você compra. Muitas multinacionais utilizam abordagens de mercado que incluem maximizar o lucro e deixar de lado preocupações humanitárias, como a luta pelo fim da exploração de mão-de-obra infantil e escravidão (problemas comuns em países latinos, asiáticos e africanos).

10. Não desperdice

Não é porque aquele vestido não está na próxima tendência que ele merece ir pro lixo. Se for algo que de-jeito-nenhum-você-usará-novamente, venda, troque, doe. Há muita gente no mundo precisando de ajuda. Fique informado sobre ONGs e entidades que prestam auxílio a pessoas necessitadas. Colabore com movimentos de apoio a vítimas de catástrofes climáticas (como enchentes e tempestades). É uma maneira de amenizar as consequências do aquecimento global e motivar uma mudança.

Fonte: Eco Trends & Tips

Bijuteria sutentável

Bijuterias sustentáveis de Yoav KotikOs criadores sempre conseguem exergar além. A designer italiana Yoav Kotik é exemplo disso. Ela desenvolveu uma coleção de bijuterias requintadas feitas com tampinhas e latas de refrigerante. O resultado são peças delicadas e modernas.

Segundo o site oficial, o material reciclado usado na confecção dos acessórios foi coletado em vários lugares de diferentes culturas.

Yoav percebeu o potencial do alumínio e estudou maneiras de ultilizá-lo. Para ela, o material é “um metal precioso” para a confecção de joias. É possível comprar as criações na loja virtual.

Fonte: Ecodesenvolvimento.org

Reciclagem interessante para fechar saquinhos

Essa dica não só ajudará o meio ambiente, como também ajudará muito você. É uma ótima ideia e está circulando pela internet faz um bom tempo. Assim, percebemos ainda mais a importância das divulgações de atitudes sustentáveis.

Enfim, aqui está o passo a passo:

1) Corte a garrafa perto da tampa

Reciclagem de garrafas PET serve para fechar saquinhos de mantimento

2) Coloque a parte do  plástico aberto através do gargalo da garrafa que você acabou de cortar.

3) Arrume o plástico dentro do gargalo, vire para baixo e coloque a tampa.

Reciclagem de garrafas PET serve para fechar saquinhos de mantimento

Moda sustentável: a coqueluche do momento

A revista Vida Simples, da Editora Abril, apresentou uma matéria muito interessante e completa sobre a moda sustentável e o espaço que ela ocupa dentro da moda. Além de mostrar alguns elementos que podem ser reciclados, também traz muita informação sobre como a eco moda vem sendo trabalhada, tanto no Brasil, quanto lá fora.

Moda sustentável é a coqueluche do momento”, diz a revista.

É claro que o mercado ecofashion é muito maior no exterior, até mesmo pela diferenciada cultura e o avanço tecnológico, mas o Brasil começa a dar seus passos. As empresas têm buscado cada vez mais aderir ao sustentável e a moda não fica atrás. Já vimos diversos estilistas e grandes nomes da moda brasileira trabalharem com materiais reciclados e divulgarem ideias ecologicamente corretas, o que é de extrema importância para conscientizar e mobilizar a população.Moda sustentável, a coqueluche do momento

O primeiro passo é trabalhar com o material reciclado, o segundo, não menos importante, é divulgar essa prática. Só assim poderemos levar a moda sustentável, e tantos outros conceitos de preservação ambiental, ao conhecimento das pessoas. Por isso, é muito bom ver estilistas, do nível de Alexandre Herchcovitch e da consultora de moda Chiara Gadaleta, trabalharem essa ideia e darem o exemplo para todos seguirem.

“Dar o exemplo não é a melhor maneira de influenciar os outros. É a única.” – Albert Schweitzer

PS: Confira a reportagem completa sobre moda sustentável no site da revista Vida Simples.

Dicas de sustentabilidade da Fujiro

Fujiro incentiva a sustentabilidade entre seus colaboradoresA Fujiro Ecotêxtil, com o objetivo de mostrar que podemos preservar o meio ambiente, promoveu uma conversa com os funcionários para discutir sustentabilidade e maneiras de preservação.  Além disso,  a empresa, fabricante de camisetas PET, sacolas e bolsas ecológicas, também deu para cada colaborador um kit com 10 ecobags, com modelos exclusivos para ir ao mercado, à farmácia, à padaria ou até para fazer compras em lojas.

“Não adianta vendermos nossos produtos e esquecermos que temos que dar o exemplo. Por isso, o que queremos é que nossos funcionários se conscientizem através desse nosso projeto e passem a dar mais valor para essas pequenas atitudes”, explica Ana Paula Sedrez, diretora da empresa.

Lista de ações ambientais disseminadas aos colaboradores da Fujiro:

- Separar o lixo em casa e no trabalho
- Fazer xixi no banho para economizar água potável
- Não usar sacolas de plástico
- Reciclar o óleo de cozinha
- Não usar copo plástico
- Usar os dois lados do papel

SAIBA MAIS: se você ficou interessado nesse projeto de conscientização, acesse: www.fujiro.com.br

Dez mil garrafas PET e a sustentabilidade em Santa Catarina

Que a reciclagem é muito importante para o desenvolvimento sustentável, você já sabe. Que existem várias maneiras de reutilizar produtos e vários produtos a serem reutilizados, também. Mas, você já sabe o que foi feito em Tubarão, Santa Catarina?

Com a ajuda da comunidade, o Pastor Jeremias construiu, no bairro Oficinas, uma Igreja Ecológica, como foi chamada. A igreja foi construída com mais de dez mil garrafas PET, mas a reutilização não parou por aí, o forro foi feito de lâmpadas queimadas e calotas de pneus de caminhão também foram usadas na construção. Além de toda ajuda direta ao meio ambiente, a criação da Igreja Ecológica mostrou às crianças a importância da reciclagem, ensinando-lhes também a não jogar lixo na rua.

No dia 6 de julho, aqui mesmo no blog (“Lixo, o que fazer com ele?“), mostramos uma notícia sobre um templo budista construído de garrafas (chamado de  “o Templo de Um Milhão de Garrafas”), retirando mais de um milhão delas do meio ambiente.

Atitudes como estas mostram como o ser humano tem a capacidade de criar e realizar diversos projetos e ações em prol do meio ambiente. Percebemos assim que há uma solução visível para salvar o planeta de toda poluição e problemas que foram e ainda são causados, basta usarmos mais a palavra sustentabilidade em nosso cotidiano.

Confira o vídeo sobre a Igreja Ecológica:

Fujiro, uma atitude campeã

O resultado do Brasil dentro de campo na Copa do Mundo não foi o melhor possível. Mas fora dele, a Fujiro Ecotêxtil, de Blumenau, se considera campeã. Mais do que o aumento na produção e o aumento no quadro de colaboradores, para que todos os pedidos fossem entregues no prazo, a linha Copa do Mundo Ecológica trouxe uma vitória muito mais saborosa: a ajuda ao meio ambiente.

Em virtude da elevação nas vendas, a empresa atingiu a marca de 2 milhões de garrafas PET retiradas do meio ambiente. A Fujiro foca-se na moda ecológica, produzindo camisetas PET, sacolas e bolsas ecológicas (ecobags), brindes ecológicos e outros artigos, utilizando-se de fios de garrafas PET recicladas e rebarbas de tecidos que não seriam utilizados. As camisetas ecológicas, por exemplo, retiram duas garrafas do meio ambiente para sua fabricação, enquanto que para a confecção de quatro ecobags, uma garrafa é retirada da natureza.Selo Ecológico da Fujiro - 2 milhões de garrafas PET

A empresa, desde sua fundação, sempre aplicou uma visão sustentável, não apenas ao trabalhar com material reciclado, mas também participando de projetos e ações ecológicas em prol do meio ambiente. A meta alcançada é muito importante e com o desenvolvimento sustentável em mente, a Fujiro acredita que o importante é conscientizar e mobilizar as pessoas a também fazerem sua parte, para juntos ajudarmos o nosso planeta.

Sustentabilidade também é cultura

Muito tem se falado sobre festivais de música que estão usando atitudes verdes para sua realização. Entre as atitudes, podemos citar a economia de recursos naturais, discussões sobre sustentabilidade, incentivo à reciclagem e ao velho “lixo no lixo”, entre outras. Já entre os festivais, vamos destacar dois que chamaram a atenção: um pelo tamanho e o outro pela interessante mobilização.

O SWU – “Starts With You” (Começa com você) - é um grande movimento em prol da sustentabilidade, que defende que “com pequenas atitudes podemos conseguir grandes mudanças. Começa com você!”.  Para incentivar ainda mais, foi criado o SWU Music and Arts Festival, que reunirá grandes bandas do cenário mundial, atraindo em torno de 300 mil pessoas ao município de Itu. Mas nem só de música boa faz-se o evento. Ao longo dos três dias de duração, será realizado o Fórum Sustentável, no qual especialistas, políticos, pensadores, empresários e representantes de entidades não governamentais, discutirão com o público a questão de sustentabilidade em suas diversas aplicações.

O outro festival de destaque, pode não ser tão famoso, nem tão grande em produção, mas com certeza é um gigante em mobilização, conscientização e criatividade. Estamos falando do Festival EcoMusic, evento que ocorrerá em Divinópolis/MG. Um grupo de jovens, com média de 17 anos de idade, começou o projeto com a intenção de conscientizar a população sobre os problemas vivenciados pelo nosso planeta. Com o tema “O que você vai fazer pelo futuro?”, visa incentivar bandas a produzirem músicas em forma de reflexão do assunto, sendo que as três escolhidas se apresentarão ao vivo no evento. Além disso, serão promovidas ações até o dia do Festival, como caminhadas ecológicas, reflorestamento em áreas desmatadas, revitalização de praças, ginástica ao ar livre, entre outras.

A criação de novas ações sustentáveis e a incorporação de atitudes ecológicas a eventos culturais já existentes, são dois fatores decisivos para o desenvolvimento sustentável. Festivais, como os citados, influenciarão várias pessoas a contribuírem para o meio ambiente. Caso você não possa participar de nenhum deles, já pensou na possibilidade de implantar sustentabilidade em sua cidade?

Reciclar é a chave

O senado finalmente aprovou a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Esta política vai valorizar a reciclagem, um dos 3 R’s do meio ambiente, discutidos no último post (“Lixo, o que fazer com ele?“). Além disso, a proposta é reduzir a geração de resíduos e também determinar o que fazer com o lixo remanescente. Há também, prevista nesta lei, uma punição para quem descumpri-la, ou seja, será punida a pessoa ou empresa que não der destino certo ao lixo, não se aplicando ao lixo doméstico.

Vale a pena ressaltar que o Brasil é uma país que recicla muito pouco, em comparação com o que produz. É de extrema importância que entre em vigor esta lei, para impor certas regras à destinação do lixo gerado e também à reciclagem, dois dos grandes problemas que enfrentamos.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos apenas ressalta ainda mais o trabalho que a Fujiro Ecotêxtil faz. A empresa cria seus produtos a partir de material reciclado, produzindo com qualidade, estilo e muita responsabilidade ambiental. São diversos produtos ecológicos que fizeram com que a Fujiro retirasse mais de um milhão e quinhentas mil garrafas PET do meio ambiente.

Espera-se que com esta lei, muitas empresas passem a seguir o exemplo da Fujiro e pensem no desenvolvimento sustentável ao criar seus produtos e serviços.

Fujiro é destaque em seminário sobre gerenciamento de resíduos, coleta seletiva e reciclagem.

Fujiro é destaque em empreendedorismo com material reciclávelProdutos da Fujiro, feitos  a partir de garrafas PET, atravessaram o país para serem destaque no “Seminário Metropolitano sobre Gerenciamento de Resíduos, Coleta  Seletiva e Reciclagem“,  em  João  Pessoa,  na  Paraíba.

O seminário teve como objetivo principal levantar a questão da gestão sustentável, dando destaque para o desenvolvimento de ações voltadas para a estruturação das diversas fases da reciclagem, de forma a garantir benefícios diretos aos agentes recicladores.

Empreendedorismo Sócio-Econômico com Material Reciclável”, tema de uma das palestras presentes no seminário, foi apresentado pela Equilíbrio Socioambiental. A empresa atua com consultoria e assessoria em projetos socioambientais para a constituição e organização de Cooperativas de Catadores de Materiais Recicláveis. Ela também atua de forma voluntária junto às comunidades.

Dentre as empresas citadas na palestra, todas sendo adeptas da sustentabilidade, a Fujiro foi a que mais se destacou. Os presentes se interessaram pela forma como os produtos ecológicos (camisetas PET, ecobags, brindes reciclados, etc.) eram produzidos, e ao serem apresentados a eles, queriam tocá-los e sentir o resultado do processo. Houve o sorteio de produtos Fujiro (uma camiseta PET e duas ecobags), o que gerou muita animação por parte dos participantes. “Foi muito interessante como conseguimos projetar a empresa Fujiro e o produto por meio da educação ambiental e conhecimento da palestra” comentou Ana Lúcia Frezzatti Santiago, uma das coordenadoras da Equilíbrio Socioambiental.